Ajuda / FAQ

A secção Perguntas Frequentes (FAQ) do UEFA.com visa responder às questões mais vezes colocadas pelos utilizadores.

COEFICIENTES (federações, clubes, listas de acesso)

Sistema de cálculo
A distribuição do número de vagas por federação, tanto para a UEFA Champions League como, a partir de 2009/10, para a UEFA Europa League é feita de acordo com uma tabela de desempenho que abrange as anteriores cinco temporadas das competições de clubes da UEFA (UEFA Champions League e Taça UEFA/UEFA Europa League).

Esta tabela (ranking de coeficientes das federações da UEFA) é compilada anualmente, sendo a cada ano descartada a temporada mais antiga antes de se proceder aos cálculos. Estes cálculos são efectuados da seguinte forma: dois pontos por vitória (um ponto em jogos de pré-eliminatórias), um ponto por empate (meio ponto em jogos de pré-eliminatórias) e zero pontos por derrota.

As pré-eliminatórias apenas são consideradas no cálculo dos coeficientes das federações.

Até à temporada 2003/04, os clubes que atingissem os quartos-de-final, meias-finais ou final da Taça UEFA ou da UEFA Champions League recebiam um ponto extra por cada vez que ultrapassassem uma dessas rondas. Para além disso, era atribuído um ponto por participar na UEFA Champions League.

A partir da temporada 2004/05, clubes que atinjam os oitavos-de-final, quartos-de-final, meias-finais ou final da UEFA Champions League, ou os quartos-de-final, meias-finais ou final da Taça UEFA recebem um ponto extra por cada ronda em que marquem presença. Para além disso, são atribuídos três pontos por participação na UEFA Champions League.

Os resultados obtidos na Taça Intertoto não contam para o ranking de coeficientes que determina o número de vagas na UEFA Champions League e na Taça UEFA.

Os pontos obtidos em cada temporada pelos clubes representantes de uma determinada federação são somados e depois divididos pelo número de clubes dessa dita federação que nessa época entraram nas duas competições de clubes da UEFA em questão e o resultado reflecte o valor do coeficiente dessa federação. Os pontos obtidos na Taça Intertoto são a excepção para este efeito e não são levados em conta. Os coeficientes são calculados à milésima e não são arredondados.

Os pontos apenas são atribuídos em jogos que sejam efectivamente disputados e de acordo com o resultado ratificado pela UEFA. Desempates por pontapés da marca de grande penalidade para determinar o apuramento de uma equipa não têm efeito no resultado efectivo do encontro.

LICENCIAMENTO DE CLUBES

A UEFA e as suas federações-membro trabalham de forma conjunta num sistema de licenciamento de clubes que visa garantir uma maior estabilidade no futebol europeu. Para obter uma licença, obrigatória para que se possa participar nas competições europeias, cada clube tem de cumprir uma série de critérios de ordem administrativa, financeira, desportiva e jurídica, bem como apresentar infra-estruturas adequadas.

São vários os objectivos deste sistema:
- promover e melhorar os padrões desportivos
- aumentar a atenção dada ao treino e formação dos jogadores jovens
- fortalecer a economia e a capacidade financeira dos clubes, aumentado a sua transparência e credibilidade e dando a devida importância à protecção dos credores
- adoptar infra-estruturas desportivas de acordo com requisitos futuros, para que os espectadores e os órgãos de comunicação social possam desfrutar de estádios seguros, confortáveis e bem equipados
- melhorar a qualidade das administrações nos clubes de futebol; fornecer a ajuda necessária, apoio e educação às federações, ligas e clubes envolvidos no sistema de licenciamento
Ao respeitarem estes padrões, os clubes estarão mais protegidos face a problemas financeiros que poderão conduzir à bancarrota.

RESPEITO: AVALIAÇÃO DO FAIR PLAY

Para tal, a conduta desportiva é avaliada pelo delegado da UEFA destacado para cada jogo. Como compensação pelo exemplo dado no campo do "fair play", um número máximo de três federações que tenham correspondido aos padrões pré-estabelecidos (média de oito ou mais pontos no ranking) recebem um lugar extra na Taça UEFA da temporada seguinte. Estes lugares extra destinam-se aos respectivos vencedores do prémio "fair play" a nível interno. Caso esse referido vencedor tenha já garantido a qualificação para as competições europeias, o lugar adicional na Taça UEFA irá para o clube mais bem classificado do ranking "fair play" do país que não tenha assegurado o apuramento para as provas europeias.

Após o final do jogo que para o qual foi nomeado como observador, o delegado da UEFA preenche um formulário de avaliação de "Fair Play", em consonância com o árbitro e, sempre que aplicável, com o observador deste. O árbitro confirma com a sua assinatura que discutiu os aspectos relativos ao "fair play" com o dito delegado.

Cartões vermelhos e amarelos (dedução de um máximo de dez pontos):
- cartão amarelo, um ponto
- cartão vermelho, três pontos
Futebol positivo (máximo de dez pontos)
Aspectos positivos
- tácticas ofensivas em vez de defensivas
- velocidade do jogo
- tentativa de apressar o jogo, por exemplo, recolocando rapidamente a bola em campo, mesmo estando em vantagem no marcador
- procura contínua do golo, mesmo quando o resultado desejado já foi alcançado
Aspectos negativos
- desaceleração do ritmo de jogo
- perda de tempo
- tácticas baseadas em jogadas faltosas
- simulações, etc.
Respeito pelo adversário (máximo de cinco pontos)
- ajudar um adversário lesionado
Respeito pelo árbitro (máximo de cinco pontos)
- atitude positiva para com o árbitro
- aceitação, sem protestos, das decisões duvidosas do árbitro
Comportamento dos responsáveis pelas equipas (máximo de cinco pontos)
- acalmar ou provocar jogadores ou adeptos
- aceitar as decisões do árbitro
Comportamento dos adeptos (máximo de cinco pontos)
- apoio às equipas através de gritos, cânticos, etc., de acordo com o espírito do "fair play"
- respeito para com a equipa adversária, árbitro e adeptos contrários
Avaliação global
- A avaliação global de uma equipa é obtida somando os pontos dados nas componentes individuais e dividindo este total pelo número máximo de pontos, multiplicando depois o resultado por dez para obter a classificação final.
- Por norma, o número máximo de pontos equivale a 40. Contudo, se uma equipa for apoiada por um número insignificante de adeptos, impossibilitando a análise do item "Comportamento dos adeptos", o número máximo de pontos a considerar será 35.
- A classificação final deverá ser calculada com três casas decimais e não arredondada.

O ESTATUTO DE ISRAEL

De acordo com os estatutos da UEFA, em circunstâncias especiais, uma federação situada noutro continente pode ser admitida como membro da UEFA desde que não esteja integrada no órgão máximo do futebol do respectivo continente, ou de qualquer outro, e desde que a FIFA aprove tal estatuto de membro da UEFA.
Dada a complicada situação política nesta particular parte do mundo no início da década de 1990, Israel pediu para se afiliar na UEFA. De forma a contribuir para o desenvolvimento do futebol e possibilitar que cada vez mais pessoas desfrutem da modalidade, o Comité Executivo da UEFA decidiu aceitar o pedido da federação israelita.

Este processo passou por três fases:
- 19 de Setembro de 1991, em Montreux, Suíça: Admissão das equipas de Israel nas competições europeias de clubes.
- 19 de Setembro de 1993, no Chipre: O Comité Executivo da UEFA aceita a admissão provisória da Federação Israelita de Futebol (IFA).
- 28 de Abril de 1994, em Viena: O Congresso da UEFA aprova a admissão definitiva da IFA na UEFA.

TAÇAS E MEDALHAS

É entregue um troféu ao clube vencedor de cada uma das competições europeias, que o manterá durante um ano. Uma réplica em tamanho real é atribuída aos vencedores, sendo que o troféu original permanecerá na UEFA. Qualquer clube que conquiste o mesmo troféu em três temporadas consecutivas ou por cinco vezes no total recebe um marco especial em sinal de reconhecimento pelo feito.

No total, 30 medalhas de ouro são entregues ao clube vencedor e outras 30 de prata são entregues ao finalista vencido. Não podem ser produzidas medalhas adicionais.

BILHETES

Com excepção dos jogos da fase final do Campeonato da Europa, a UEFA apenas vende bilhetes para as finais das suas competições de clubes. Estes bilhetes são colocados à venda através do "site" da UEFA cerca de três meses antes da respectiva final.

Os bilhetes para os outros encontros devem ser adquiridos ao clube da casa para adeptos locais e neutros, e através do emblema visitante para os adeptos forasteiros.

Todos os clubes presentes nas competições da UEFA devem disponibilizar um mínimo de cinco por cento da lotação do seu estádio exclusivamente para os adeptos da equipa visitante, numa área separada e segura.

O preço dos bilhetes para os adeptos da equipa visitante não pode ser mais elevado do que o preço dos bilhetes de qualidade semelhante vendidos aos adeptos do clube da casa.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Quem devo contactar para obter informações sobre cursos de treinador?

Dirija-se, por favor, à sua federação nacional de futebol para obter informações sobre cursos de treinador no seu país.